VOLTAR À PÁG.
DA COLEÇÃO

HOME
PREFÁCIO
CAPÍTULO I
CAPÍTULO XXIV
CAPÍTULO II
CAPÍTULO II
CAPÍTULO XXV
CAPÍTULO III
CAPÍTULO XXVI
Em outro lugar, cheio de árvores, animais vagam tranquilamente, pássaros e borboletas voam livremente; uma atmosfera muito agradável com pessoas andando serenamente pelo local.

Aparece então, do nada, o estranho sujeito com a pequena garota sob um de seus braços. Ele a solta, ela cai no chão e, apavorada, corre de costas para longe dele.

Ele continua parado em pé, olhando na direção dela. Enquanto ela se afasta, um homem a segura por trás, agachando-se para ajudá-la.

Assustada olha para este novo personagem e vê um homem barbudo, simpático, todo de branco, da cabeça aos pés, num enorme avental. Esse homem fala pausadamente com voz muito macia na tentativa de acalmá-la:

- Calma, minha filha, você está segura aqui!

-
Eu quero meu pai e minha mãe!

- Fique tranquila, nada irá acontecer a você aqui, você está segura!

- Eu quero meu pai e minha mãe!

O homem de branco levanta-se com ela no colo. Ela o abraça enquanto ele acariciada suas costas. A menina lentamente se acalma.

O homem de branco olha fixamente para o estranho sujeito, que a raptou. O sujeito de capuz, sem nenhuma emoção, simplesmente desaparece no ar depois de alguns segundos.

Então esse homem de branco vira-se agora para um pequeno grupo que se aproxima dele, reclamando do estranho homem que também os sequestrou. O homem de branco pede para que todos fiquem tranquilos, que ele irá esclarecer a situação.

Ele nada fala e apenas com um olhar de empatia, balança a cabeça, demonstrando que entende a estranha situação que todos estão vivendo e pede, apenas com seus braços, que parem de falar para que ele possa fazê-lo.

- Meus filhos! Entendo que estão sofrendo com o que está acontecendo. Mas olhem ao redor (apontando seus braços esticados e abertos paralelamente ao solo, enquanto gira seu tronco uns 45 graus, apontando para todo o horizonte como um Cristo Redentor). Vocês estão num paraíso!

- O que estamos fazendo aqui? Quem é você? (pergunta a cientista que estava anteriormente sendo assediada pelos quatro arruaceiros).

- Eu vou explicar tudo a vocês. Apenas sentem-se e acalmem-se, por favor.

- O que estamos fazendo aqui? Quem é você? (pergunta a cientista que estava anteriormente sendo assediada pelos quatro arruaceiros).

- Eu vou explicar tudo a vocês. Apenas sentem-se e acalmem-se, por favor.

CAPÍTULO IV
CAPÍTULO XXVII
CAPÍTULO V
CAPÍTULO XXVIII
CAPÍTULO XXIX
CAPÍTULO VI
CAPÍTULO XXX
CAPÍTULO VII
CAPÍTULO XXXI
CAPÍTULO VIII
CAPÍTULO XXXII
CAPÍTULO IX
CAPÍTULO XXXIII
CAPÍTULO X
CAPÍTULO XXXIV
CAPÍTULO XI
CAPÍTULO XXXV
CAPÍTULO XII
CAPÍTULO XXXVI
CAPÍTULO XIII
CAPÍTULO XXXVII
CAPÍTULO XIV
CAPÍTULO XXXVIII
CAPÍTULO XV
CAPÍTULO XXXIX
CAPÍTULO XVI
CAPÍTULO XL
CAPÍTULO XVII
CAPÍTULO XLI
CAPÍTULO XVIII
CAPÍTULO XLII
CAPÍTULO XIX
CAPÍTULO XLIII
CAPÍTULO XLIV
CAPÍTULO XX
CAPÍTULO XLV
CAPÍTULO XXI
COMENTE SOBRE ESTE LIVRO
CAPÍTULO XXII
CAPÍTULO XXIII
OOOOOOOOOOO
O
O
O
O
O
O
O
O
O
O
O

Capítulo Anterior
Próximo Capítulo
OOOOOOOOOOO